12. julho 2020

Arquivos Destaques - Página 2 de 9 - Bessa News

26 de junho de 2020
prefeito.jpeg

5min38

Na próxima segunda-feira (29), João Pessoa entra em uma nova fase do Plano Estratégico de Flexibilização. Seguindo protocolos que buscam assegurar mais proteção contra à Covid-19, voltam a funcionar escritórios de profissionais liberais, como advogados, contadores e arquitetos, além dos treinos para atletas profissionais. Lojas de materiais de construção, que só funcionavam por delivery e drive thru, também poderão reabrir de acordo com regras de proteção sanitária. O transporte público volta a circular na Capital na segunda-feira, dia 6 de julho, quando será concluída a etapa preparatória, a exemplo da imunização contra a gripe e testagem do novo coronavírus para todos os profissionais de transporte. O anúncio foi feito pelo prefeito Luciano Cartaxo, nesta sexta-feira (26), que apresentou avaliações técnicas e científicas que permitiram que a Capital avançasse para a segunda etapa do Plano.

 

De acordo com os estudos da Secretaria Municipal de Saúde, que segue protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), João Pessoa segue com queda na taxa de ocupação de leitos de UTI, em relação aos últimos 15 dias, o que aponta para uma redução no número de pacientes graves. A pressão hospitalar nas UPAs Covid-19 também vem apresentado queda, acompanhada pela diminuição na média diária de óbitos da doença. “Os números apontam que podemos avançar para o passo seguinte, mas precisamos seguir vigilantes. Não podemos baixar a guarda. O isolamento social segue decisivo para seguirmos salvando vidas. Por isso, toda esta retomada vem sendo norteada por medidas de segurança que nos permitam avançar para os passos seguintes”, explicou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

Com a nova etapa de flexibilização, as lojas de material de construção poderão funcionar com a permanência simultânea de um cliente a cada 10m² de área do estabelecimento, a fim de evitar aglomeração de pessoas, priorizando os serviços de delivery ou drive-thru, caso realizem. Os profissionais liberais podem regressar suas atividades respeitando o distanciamento de 1,5m e priorizando reuniões remotas ou previamente agendadas, mas sem aglomeração. Atletas profissionais dos times de João Pessoa serão testados para a Covid-19 pelas equipes de saúde da Prefeitura da Capital e podem retomar a etapa de treinos, observando as medidas de prevenção. Já as atividades religiosas seguem liberadas com 30% da capacidade das igrejas, mantendo os critérios da primeira fase.

 

O transporte público será reaberto dentro de uma semana, depois da etapa preparatória que prevê a vacinação de motoristas e cobradores, junto com testes do novo coronavírus. Outra medida adotada será a higienização de veículos, terminais e paradas de ônibus com maior fluxo de pessoas. As ações preventivas foram acordadas com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sintur). Ao longo desta semana, os coletivos seguem funcionando apenas para o deslocamento dos profissionais de saúde, como já vem ocorrendo.

 

Planejamento estratégico – A Prefeitura de João Pessoa informou que a reabertura gradual se dará em quatro fases. A data da terceira etapa do Plano de Flexibilização está prevista para o dia 13 de julho, sempre a partir da análise de critérios epidemiológicos de controle da doença. Na primeira fase foram liberados setores econômicos como a construção civil, concessionárias, revendas e locadoras de veículos, além de salões de beleza, desde que o atendimento seja feito com hora marcada. Bares, restaurantes, shoppings, centros comerciais e estabelecimentos de varejo podem funcionar por delivery e drive thru.

 

Divulgação


26 de junho de 2020
nibus-2-1280x853.jpg

1min38

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur-JP) realiza a partir desta sexta-fe4ira, 26, até o próximo domingo a testagem dos funcionários do sistema de transporte público de João Pessoa. Além disso, eles receberão a vacina de H1N1. A medida tem o objetivo de preparar o setor para a retomada das atividades.

 

A liberação do transporte público está previsto para a segunda fase do planejamento proposto pela prefeitura de João Pessoa.

 

“Definimos um protocolo para garantir a segurança e prevenir o contágio do coronavírus nos ônibus. A vacinação para H1N1 e o teste para Covid-19 é mais uma etapa da nossa preparação para o retorno das atividades. Estamos prontos para voltar a operar”, afirmou o diretor institucional do Sintur-JP, Isaac Junior Moreira.


25 de junho de 2020
médico.jpg

2min33

O Conselho Regional de Medicina (CRM) divulgou nesta quinta-feira, 25, que 3.070 profissionais de saúde já foram diagnosticados aqui na Paraíba desde o início da pandemia. Ainda segundo o CRM, sete médicos morreram por conta da doença. O relatório aponta também que no dia 12 de maio os casos confirmados entre os profissionais da linha de frente era de 217.

 

 

Dos 3.070 profissionais diagnosticados, 13% são médicos e 7 morreram, de acordo com o CRM-PB. A maior parte dos infectados com Covid-19 são profissionais de enfermagem, sendo 30% técnicos ou auxiliares em enfermagem e 18% enfermeiros, segundo a SES-PB.

O Conselho Federal de Medicina criou uma plataforma virtual de denúncias para que sejam registradas as queixas da falta de estrutura de trabalho. Mais de 60 denúncias foram feitas na Paraíba, segundo o CRM-PB.

Problemas no processo de triagem, falta de Equipamentos Individuais de Proteção (EPIs), insumos, exames e medicamentos são as principais queixas dos médicos que atuam no estado. O CRM-PB, através da campanha Médicos Contra o Coronavírus, tem visitado as unidades de saúde para verificar as denúncias.

Fonte: G1


25 de junho de 2020
onibus.png

3min45

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, se reuniu, na tarde desta segunda-feira (22), com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sintur) para receber e avaliar as estratégias para formulação do protocolo de retomada das atividades do transporte público de passageiros na Capital. O diálogo se faz necessário em virtude das ações de prevenção e combate à pandemia do novo coronavírus que a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) está adotando para que a cidade volte gradualmente à nova normalidade. O retorno da circulação dos ônibus está previsto para a segunda fase do plano de flexibilização.

 

“Recebemos todo o material proposto pelo setor de transportes com relação às novas normas, ao protocolo que está sendo sugerido. A Prefeitura tem feito esse acompanhamento passo a passo para que possamos fazer o retorno seguro e sem jogar fora todo o esforço que foi feito não só pela nossa gestão, mas também pelo povo de nossa cidade. Nossa ideia é dar passos seguros que garantam a preservação da vida e saúde de nosso povo”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

Segundo o prefeito, a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) irá avaliar as propostas do setor e alinhá-las às normas de segurança estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e aos protocolos estabelecidos na Capital pela Secretaria de Saúde (SMS), feitos por médicos e sanitaristas. Todas as ações a serem adotadas no retorno da circulação dos ônibus, assim como de outros setores, se dará mediante análise de avaliação de risco.

 

Desde o mês de março, o transporte público teve as atividades paralisadas dentre as ações adotadas para evitar aglomerações e os ônibus passaram a circular apenas para o transporte de profissionais e trabalhadores da área da saúde, que estão na linha de frente das ações de combate à pandemia. Durante todo este período, o distanciamento social segue como a principal medida para conter a propagação da Covid-19. Mesmo com o início do Plano Estratégico de Flexibilização, a orientação para que as pessoas permaneçam em casa e só saiam em caso de necessidade, segue como válida. No espaço público, o uso de máscara também segue como obrigatório.

 

Fonte: PMJP


24 de junho de 2020
celular.jpg

5min55

Cientistas desenvolveram uma tecnologia que promete reduzir em até 80% o gasto da bateria de celulares. Os pesquisadores da Universidade Nacional de Singapura (NUS) conseguiram programar um chip para gerenciar a energia consumida nos processos do smartphone junto com a qualidade dos recursos, função que pode economizar cinco vezes mais bateria que os componentes atuais. A ideia é gastar menos energia quando o alto desempenho não for necessário.

Por enquanto, a novidade é experimental e não há previsão de chegada às baterias convencionais.

Os pesquisadores descobriram que os dispositivos consomem mais energia na transferência de dados do que no processamento de informações ou na tela, tanto entre os componentes internos quanto nas ondas eletromagnéticas. Esta troca de informações é o que mantém ativo o alto desempenho de um recurso, como a execução de um vídeo, por exemplo.

Porém, os cientistas observaram que o alto desempenho é desnecessário em muitos casos, como quando o usuário não está concentrado na tela do smartphone ou quando a bateria está perto de acabar. Aparelhos atuais continuam suprindo os recursos de alta demanda, o que resulta num gasto desnecessário de bateria.

Para resolver este problema, os pesquisadores programaram uma rede dentro do chip que administra quando os recursos não precisam de alto desempenho. Desse modo, a energia cai significativamente, o que também acaba reduzindo em paralelo a qualidade daquela função. O processo poupa até 80% da bateria para que ela seja usada quando for realmente necessária.

Este gerenciamento inteligente no consumo de energia representa um gasto cinco vezes menor, permitindo que a autonomia do celular seja estendida.

A tecnologia também pode ser usada em computadores, notebooks e servidores. Os cientistas estudam a criação de um amplo sistema de bateria inteligente baseado na percepção humana de quando é necessário gastar mais energia para aumentar o desempenho de um recurso ou economizar bateria em tarefas que não demandam alta transferência de dados.

Os pesquisadores também pretendem criar um novo sistema de câmeras inteligentes que consomem pouca energia. A ideia é que elas operem com eficiência mesmo com o baixo consumo por meio de energia solar. A bateria viria com uma célula de um centímetro para coletar energia do ambiente.

Apesar de ser um projeto experimental, a expectativa é de que a tecnologia não demore para ser lançada, já que a fabricante TSMC está apoiando a iniciativa.


23 de junho de 2020
lixo-reciclavel-680x365-1.jpg

2min77

A utilização de fogueiras este ano está proibida nas áreas urbanas de todo o Estado, mas uma ação social irá “driblar” a medida. É que neste sábado, 27, será montada uma fogueira ecológica no Parque Parahyba 2, ao lado da Igreja Nossa Senhora de Nazaré. Todo o material usado será reciclado e a montagem tem início por volta das 6h30 da manhã.

 

“É preciso repensar as atitudes sobre o meio ambiente e por boas práticas em defesa da sustentabilidade. Pensando nisso, vamos fazer uma fogueira ecológica com lixo reciclados e estamos convidando moradores do bairro para separar esse material reciclado em casa e levar para formar a fogueira. O material será destinado a uma cooperativa de catadores de materiais recicláveis”, explicou o presidente do Comitê Parque Parahyba.

 

Sem grandes eventos, catadores têm enfrentado dificuldades. Foto: Divulgação

 

A fogueira será destinada a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis (ASCARE-JP) e os organizadores ainda pedem doações de alimentos, já que neste período de pandemia muitos catadores estão com atividades paralisadas e o valor do quilo do lixo reciclado também caiu, trazendo prejuízos para os trabalhadores.

 

Como parte da ação de conscientização de cuidados com o meio ambiente, serão distribuídas 20 mudas de árvores a partir das 5h. São várias espécies, a exemplo de ipês amarelos, jatobá, algodão da praia e cajá. Tudo de forma gratuita.

 

 


22 de junho de 2020
milho.jpg

2min29

Agricultores do Estado irão vender milho nesta terça-feira, 23, no Incra, que fica no Bairro dos Estados. A feira será realizada no estacionamento do órgao, que fica no Bairro dos Estados, ao lado da Vila Olímpica Parahyba, das 6h às 18h.

 

Para quem for ao local, vale a pena conferir a pesquisa do Procon de João Pessoa, que fez um levantamento dos preços do milho aplicados na Capital. O produto varia entre R$ 25,00 e R$ 40,00 e foi observado em quatro mercados públicos de João Pessoa: Central, Oitizeiro, Mangabeira e Torre.

 

Para o milho com palha, o levantamento do Procon-JP encontrou o menor preço, R$ 25,00, nos mercados Central e de Oitizeiro e, o maior, R$ 40,00, nas feiras do Centro e de Mangabeira. Já o menor valor do produto sem palha pode ser adquirido em Oitizeiro e, o maior, R$ 40,00, nos mercados Central e de Mangabeira. A pesquisa foi realizada na quinta-feira (18) em 13 boxes de quatro mercados públicos da Capital Central; Oitizeiro; Mangabeira e Torre.

 

A secretária Maristela Viana acredita que esses preços devem sofrer pouca alteração até a véspera do São João. “Geralmente os preços desse produto caem um pouco no dia que antecede o São João, mas, quem pretende fazer sua própria comida à base de milho e quer antecipar essa compra, deve procurar os locais baratos consultando a pesquisa do Procon-JP”.

 

Coco seco – O Procon-JP também levantou preços para o coco seco, que assim como o milho, é um dos principais ingredientes para a comida típica dessa época. O produto está registrando uma diferença de R$ 1,00, com os preços oscilando entre R$ 2,00 (mercados Central e Mangabeira) e R$ 3,00 (Central, Mangabeira e Torre).

 

BessaNews com Procon-JP


22 de junho de 2020
botijao.jpg

2min59

A partir desta segunda-feira (22), o botijão de gás de cozinha vai sofrer um aumento de 5%. O Sindicato dos Revendedores de Gás da Paraíba (Sinregás) informou que, em dinheiro, o reajuste significa um aumento entre R$ 2 e R$ 3. O último aumento aconteceu no dia 22 de maio e ainda há a previsão de um novo aumento para o dia 1º de julho, conforme o presidente da Sinregás, Marcos Antõnio.

O Procon-JP divulgou no início do mês, uma pesquisa sobre o preço do botijão de 13 kg variando entre R$ 65 (à vista) e R$ 75 (à vista ou no cartão), a mesma encontrada no último dia 21 de maio.

O presidente do Sinregás-PB, Marcos Antônio Bezerra, disse que somente na Grande João Pessoa existem 500 estabelecimentos revendedores de gás, com 300 instalados somente em João Pessoa. Ele alertou que os consumidores precisam prestar atenção no momento da compra do botijão, para que isso seja feito apenas em locais regulamentados e exigindo sempre o cupom fiscal na hora em que estiver adquirindo o produto.

Fonte: G1 PB

20 de junho de 2020
bananeiras-paraiba.jpeg

3min46

Um dos principais pontos turísticos do Estado nesta época do ano, Bananeiras deve ser proibida de receber os turistas. Pelo menos esta é uma das recomendações do Ministério Público da Paraíba entregue nesta sexta-feira, 19, ao prefeito do município, Douglas Lucena. O MPPB orienta que o decreto municipal que determinou o isolamento social seja prorrogado até o dia 30 deste mês de junho.

 

Conforme a orientação, apenas moradores e pessoas que comprovem que trabalham em atividades essenciais ou que precisam de tratamento de saúde podem entrar em Bananeiras.

A recomendação ministerial foi expedida pela promotora de Justiça, Ana Maria Pordeus Gadelha, com o objetivo de fazer o município adotar medidas mais rígidas para combater o contágio pelo novo coronavírus, sobretudo no período junino, já que a cidade é ponto turístico nessa época do ano, atraindo muitas pessoas de outras cidades.

Devem ser proibidos a aglomeração de pessoas em espaços públicos e privados e a circulação de pessoas em locais como praças e calçadões, exceto para os deslocamentos imprescindíveis para acessar atividades essenciais.

Outra medida recomendada é a fiscalização da proibição de alugar, emprestar ou ceder imóveis para temporada por período inferior a 15 dias. Os proprietários que desobedecerem as normas, assim como as pessoas que ocuparem os imóveis, deverão ser punidos com multa no valor de R$ 5 mil, conforme estabelece o decreto.

O prefeito tem 48 horas, após a notificação, para se manifestar sobre o cumprimento ou não das medidas recomendadas.

BessaNews com G1 Paraíba


20 de junho de 2020
fogueira.jpg

1min41

O Diário Oficial deste sábado, 20, publicou a lei sancionada pelo Governador do Estado que proíbe o acendimento de fogueiras nas áreas urbanas nesta época de pandemia. A multa para quem descumprir, pode passar dos R$ 500,00.

 

A lei é de autoria do deputado Adriano Galdino (PSB) e já está em vigor a partir deste sábado, 20. O valor da multa pode dobrar em caso de reincidência.

 

A medida é baseada em relatórios médicos que apontam que a fumaça gerada pelas fogueiras pode agravar o sistema respiratório de pessoas contaminadas com a Covid-19, já que é uma doença que atinge justamente esta área.