10. julho 2020

Arquivos Esportes - Bessa News

9 de março de 2020
corrida-parque-joao_pessoa.jpg

3min16063

A Corrida dos Parques, no bairro do Bessa em João Pessoa, confirmou nesta segunda-feira, 09, que pela primeira vez terá uma narradora mulher para a prova, que acontece no Dia das Mães. Trata-se de Rafaelly Leite, repórter da Tv Manaíra (afiliada da Band na Paraíba). O anúncio foi feito por um dos organizadores do evento, Dema Macedo.

A edição 2020 deve ser lançada nos próximos dias com várias novidades em relação à organização do evento. Com foco na sustentabilidade e preocupação com o meio-ambiente, a organização da prova mostra preocupação com a quantidade de material descartado durante a corrida. “Esse tipo de evento de rua no Brasil só vem aumentando na última década. Esse fato deve ser comemorado, mas também há ressalvas. Enquanto a prática esportiva combate o sedentarismo e traz saúde aos seus adeptos, o uso do espaço público para grandes eventos requer responsabilidade”, afirmou Dema Macedo, um dos organizadores da prova.

Sustentabilidade na Corrida dos Parques

Serão três modalidades: 3 km, 6km e 12km. O percurso inclui o corredor ecológico do Bessa, entre a Praça do Caju e o Aeroclube, com largada e chegada no Parque Parahyba II. A edição deste ano acontece no dia 10 de maio.

“Para qualquer evento, você precisa mobilizar uma estrutura e pessoas. Você utiliza energia, traz uma equipe de pessoas, equipamentos. Todas essas atividades vão impactar o meio ambiente, tudo isso gera CO2, ou seja, quantos gases responsáveis pelo efeito estufa você está gerando. São esses gases que vão contribuir para o aquecimento global”, acrescentou.

Com esta preocupação, a organização da prova definiu que somente empresas com responsabilidade socioambiental podem fixar sua marca ao evento. E a preocupação se estende a todos os detalhes do evento: Após hidratação no percurso da corrida os corredores são orientados a descartar corretamente os copos, não jogando na via pública. Nos pontos estratégicos haverá coletores de recicláveis pelo percurso; Os plásticos que embalam o lanche natural dos corredores serão substituídos por sacolas de algodão; e no chamado “kit finish”, que o atleta recebe após a disputa, tem medalha com madeira reflorestada, chaveiro ecológico, eco bag para ajudar a reduzir o uso de sacolas de plásticos e uma muda de árvore.

As inscrições podem ser feitas no site timerunpb.


3 de fevereiro de 2020
kaio-marcio.jpg

5min53

Aos 35 anos, Kaio Márcio sonha com a sua quinta participação consecutiva em Olimpíadas

Nadador paraibano quer fechar o seu ciclo olímpico nos jogos de Tóquio, em julho. Kaio Márcio vai buscar o índice classificatório em abril, no Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro

A carreira de Kaio Márcio na natação é quase incontestável. Se um raio-x de sua trajetória nas piscinas for posto à mesa, a única falta notada é mesmo a de um pódio olímpico. Esse sonho continua sendo almejado para 2020, nas Olimpíadas de Tóquio. O paraibano, inclusive, vai disputar o Troféu Maria Lenk – marcado para o mês de abril – em busca do índice que pode lhe render uma das vagas para participar, pela quinta vez, da competição olímpica.

Com 35 anos, o nadador quer usar da sua experiência para se sobressair na disputa do Troféu Maria Lenk, que terá os índices classificatórios para o maior evento esportivo do mundo, marcado de 27 de julho até 9 de agosto. O evento vai acontecer dos dias 20 a 25 de abril, na cidade fluminense. Kaio Márcio vai disputar os 100m e 200m borboleta, provas em que o atleta construiu uma certa soberania ao longo de sua trajetória nas piscinas.

– São tempos que eu já fiz anteriormente. As provas levam dois atletas. Hoje em dia está muito acirrado. São detalhes que podem decidir na hora. Estou treinando focado em conseguir esta vaga (nas Olimpíadas) para fechar com chave de ouro. Vai ser uma seletiva muito dura, mas eu estou confiante – confessou.

Kaio Marcio esteve presente nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016 — Foto: Buda Mendes / Getty Images

Ciente de que pode ser a última oportunidade de competir em nível olímpico, o paraibano olha para trás e consegue ver a construção de uma história vencedora na modalidade.

– Já fiz bastante coisas pela natação. Foi muito difícil a carreira. Sempre busquei e fui atrás dos meus sonhos. Tudo o que eu quis, como atleta, eu consegui. Eu sou muito realizado. Sem dúvidas, ir para uma quinta olímpiada é um luxo – finalizou.

Kaio Márcio em disputa de medalha no Pan-Americano de Toronto, em 2015 — Foto: Satiro Sodré/SSPress

Em mundiais de piscina curta, Kaio Márcio conquistou uma medalha de ouro, uma de prata e três de bronze. Já em Pan-Americanos foram quatro participações, com quatro ouros, três de prata e dois de bronze. Além dos pódios, o nadador acumula quatro recordes mundiais, conquistados entre os anos de 2009 e 2010.

Fonte: globoesporte.globo.com/pb/