29. setembro 2020

Gastronomia – Bessa News

27 de julho de 2020
prato-tipico-de-joao-pessoa.jpg

5min133

A partir desta segunda-feira (27), bares, restaurantes e também das academias de atividades físicas de João Pessoa podem voltar a funcionar, mas com algumas restrições. Bares e restaurantes vão ter horários específicos para abrir e as academias só devem funcionar limitados à 50% de sua capacidade de atividade.

Os bares e restaurantes podem funcionar no horário de café da manhã entre 7h e 10h, almoço entre 12h e 16h, e no horário de jantar entre 18h e 22h. A medida se estende a outros estabelecimentos de gastronomia, como lanchonetes e docerias. De acordo com a prefeitura, apesar da reabertura, estão proibidas as apresentações musicais e artísticas ao vivo nos bares, restaurantes e estabelecimentos do segmento.

Luciano Cartaxo explicou que as praças de alimentação seguem fechadas nos shoppings e que as regras para bares e restaurantes nesses espaços são para estabelecimentos que têm mesas e cadeiras próprias, que devem seguir os horários determinados para almoço e jantar, mas apenas até o fechamento dos shoppings. Nos demais que usam o espaço das praças, segue a regra de retirada de pedidos e delivery.

Ficam proibidos os sistemas de rodízio e buffet exposto. O self service só poderá funcionar com protetores e sendo servidos por atendentes do próprio restaurante. Os quiosques e bares da área da orla de João Pessoa também estão autorizados a funcionar no mesmo modelo dos bares e restaurantes, respeitando os mesmo horários, mas proibidos de colocar mesas e cadeiras nas faixas de areia das praias urbanas da capital paraibana.

As academias de musculação e demais atividades físicas também estão liberadas a voltar na quarta fase do plano de flexibilização, mas com a limitação de 50% da capacidade individuais dentro de cada academia, respeitando também o agendamento por parte dos clientes e sem aulas coletivas de atividades como dança. As etapas anteriores tinham autorizado as atividades em ambiente externos.

Outra liberação feita pontualmente pela Prefeitura de João Pessoa foi a liberação das aulas práticas e laboratoriais para estudantes de faculdades particulares que estão em conclusão de curso, que precisam apenas cumprir requisitos de aulas presenciais para concluir os estudos de nível superior.

Teatros, cinemas, museus e a faixa de areia das praias de João Pessoa, incluindo o estacionamento da orla da capital paraibana, seguem fechados nesta etapa da flexibilização. Da mesma forma segue proibido o banho de mar nas praias de João Pessoa. As aulas em escolas municipais e privadas também segue sem previsão de retorno.

Fonte: G1 PB


3 de julho de 2020
sanitização.jpg

1min203

Preocupado com a saúde dos frequentadores da Feira Agroecológica do Bessa, o Comitê Parque Parahyba tomou a iniciativa de realizar um trabalho de sanitização do local. De forma independente do Poder Público, uma empresa foi contratada para realizar o trabalho.

 

“Dentro do projeto Feira Segura, realizamos essa sanitizacão da área onde rola a feirinha Agroecológica do Parque Parahyba 2. Não esperamos pelo poder público , apesar da obrigação deles. Agradecemos a parceria com a Solucione – Saúde Ambiental”, explicou Dema Macedo, membro do Comitê.

 

Além desse processo, a feira já tem se preocupado com a prevenção à Covid-19 com disponibilização de álcool em gel e distanciamento social.

 


29 de junho de 2020
WhatsApp-Image-2020-06-27-at-08.05.42.jpeg

2min204

Moradores da região do Bessa têm uma opção interessante para compras de frutas e verduras. Trata-se da Feira Agroecológica, realizada semanalmente ao lado da Rua Severino Nicolau de Melo. No último sábado, 29, teve mais uma edição da feira, com várias medidas para evitar a transmissão do vírus, como distanciamento entre as pessoas e disponibilização do álcool em gel.

 

Consumidores puderam comprar produtos como banana, macaxeira, farinha, feijão de corda, e vários outros.

 

A feira tem o apoio do Comitê Parque Parahyba.

 


4 de maio de 2020
cartola-banana.jpg

4min204

Considerada Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Pernambuco (Lei 13.751, de abril de 2009), a cartola é uma das mais tradicionais sobremesas pernambucanas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Originária das casas-grandes dos engenhos, sua receita é resultado da mistura de ingredientes, técnicas e hábitos culturais dos colonizadores portugueses, dos indígenas que aqui viviam e dos escravos africanos, uma mostra da miscigenação dos três principais povos que formaram a cultura do Nordeste do Brasil.

Não é possível precisar quem a inventou, nem onde ou quando foi produzida pela primeira vez.

Mas afinal, porque o nome Cartola?

Embora também ser outra pergunta sem resposta nos registros,  é provável que o nome Cartola seja por causa do seu formato alto, pela superposição de camadas de banana e queijo, além da cor escura devido à canela. (Comente aqui se tem outras referências da origem do nome dessa sobremesa tão apreciada).

Seus ingredientes são a banana madura, de preferência a prata – variedade trazida pelos portugueses das Ilhas Canárias – o queijo do sertão, conhecido também como queijo manteiga, produzido a partir da manteiga de garrafa, muito apreciada pelos escravos e conhecida na África como ghee ou butteroleo; o açúcar e a canela.

Segundo a pesquisadora Maria Lecticia Monteiro Cavalcanti, a técnica de polvilhar com açúcar e canela foi registrada pela primeira vez em 1490, no Libro de arte coquinário, de Martino de Rossi, conhecido como Mestre Martinho, famoso cozinheiro do Duque de Milão e do Vaticano. É também da pesquisadora gastronômica a receita abaixo.

Receita

INGREDIENTES:

duas bananas pratas maduras;
uma colher de sobremesa de manteiga;
duas fatias grossas de queijo do sertão;
uma xícara de açúcar cristal;
duas colheres de sopa de canela.

PREPARO

– Frite as bananas na manteiga (quanto mais maduras melhor), até que fiquem bem douradas. Coloque já no prato em que vai ser servida.

– Derreta o queijo, no fogo (se necessário use um pouquinho de leite). Esse queijo deve cobrir completamente as bananas.

– Misture açúcar e canela. E cubra o queijo, generosamente. Tanto que sobre bastante, pelos lados do prato – posto que, com frequência, se usa esse excesso para besuntar a garfada dessa banana com queijo. Sirva imediatamente.

 

 

 

 

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Cartola (culinária)Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia mês ano. Ex: 6 ago. 2009.


2 de maio de 2020
fruta-1.jpg

3min160

A Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), está realizando semanalmente a Feira dos Produtores, de modo a garantir alimentos saudáveis procedentes do campo para população e assegurar a renda dos agricultores. A estrutura segue as recomendações do Governo do Estado e em conformidade com a orientação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde, com higienização do local, e obedecendo ao distanciamento entre as pessoas e o uso de máscaras.

 

A Feira do Produtor mais uma vez aconteceu nesta sexta-feira (1º), no pátio externo da sede da Empaer, na estrada de Cabedelo, com um número reduzido de agricultores comercializando seus produtos obedecendo ao espaçamento, das 6h  às 9h. Também em Campina Grande, seguindo as mesmas normativas do governo para evitar a propagação da Covid-19, se realizam duas feiras de produtores durante o horário da manhã. As feiras do Parque do Povo, com 70 agricultores familiares, que acontece na sexta-feira, e a feira do Bairro das Malvinas, aos sábados, com 48 agricultores. Ambas contam a participação de agricultores procedentes de municípios do Polo da Borborema, que trabalham com o acompanhamento à distância pelos técnicos da Empaer.

Nas outras cidades onde existem feiras organizadas e acompanhadas pela Empaer, seguem as orientações das prefeituras e das autoridades de saúde, também acontecem nos dias programados.

Os consumidores estão sendo orientados para que façam os pedidos antecipados dos produtos que desejam aos agricultores, utilizando os meios de comunicação que dispõem, como WhatsApp e Facebook, de modo que evitem o máximo de contato mais próximo sem, contudo, deixar de ter acesso à alimentação saudável

Nas feiras são comercializados produtos vindos diretamente do campo para o consumidor, permitindo o incentivo e a integração do agricultor na cadeia produtiva, gerando oportunidade de trabalho, renda e melhoria da qualidade de vida das famílias rurais paraibanas.

Secom-PB


26 de março de 2020
alimentos-imunidades.jpg

5min219

Manter a higienização das mãos e evitar contato com outras pessoas é tão importante quanto manter o corpo forte durante essa quarentena do coronavírus. E dá para aumentar a imunidade de forma simples: incluindo alimentos saudáveis nas refeições.

Eles não previnem infecções virais, nem curam a doença, mas ajudam fortalecer o sistema imunológico e preparam o corpo para enfrentar inimigos invisíveis.

É preciso entender que “o vírus depende de um hospedeiro para sobreviver e iniciar o processo de multiplicação. Ou seja, o vírus depende do organismo humano para se desenvolver. Por isso, fortalecer a imunidade é tão importante nesse momento de crise”, disse o nutricionista Samuel Barros em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Inclua na alimentação

  1. Frutas com vitamina C (laranja, limão, kiwi, acerola…)
  2. Verduras escuras como couve, brócolis e espinafre
  3. Iogurte sem açúcar
  4. Mix de castanhas
  5. Geleia real
  6. Própolis
  7. Alho
  8. Gengibre
  9. Açafrão
  10. Curry
  11. Cravo
  12. Canela
  13. Páprica
  14. Cominho
  15. Pimenta do reino

Sobre os temperos acima, ele esclarece:

“É sempre bom inserir na dieta esse tipo de especiaria. E lembrando que essas recomendações valem não apenas para o Covid-19″, alerta.

“A couve é uma verdura que deve se valorizada e utilizada para potencializar essa corrida em busca de se proteger contra o Covid-19. A planta é rica em ferro, ácido fólico e fibras, sendo boa para desintoxicar o corpo e regular o intestino”, afirma o nutricionista.

E explica sobre a importância de comer frutas.

“Ingerir alimentos ricos em vitaminas, minerais e compostos bioativos podem auxiliar no combate aos vírus e bactérias indesejadas ao organismo. Lembrar das frutas e vegetais nesse momento é importante… suco de laranja também pode ser adicionado às refeições, já que possui vitamina C, que é indispensável para fortalecer a imunidade”, orienta.

Uma dica é tomar um suco de limão pela manhã e um suco de laranja à tarde.

Cuidados

  • Evite remédios que baixam a imunidade como cortisona, antibióticos, xaropes e anti-inflamatórios
  • Não faça dietas com restrições calóricas severas
  • Evite alimentos processados
  • Evite alimentos com excesso de açúcar.

Samuel Barros diz que é bom evitar alimentos processados e pede para “controlar os excessos de alimentos que possam prejudicar a saúde intestinal, como os processados, industrializados e principalmente o excesso de açúcar”.

Receita fácil

O nutricionista conta que é possível fazer uma dieta balanceada com alimentos disponíveis em qualquer supermercado e indica para o lanche da tarde, por exemplo, um mix de iogurte com frutas, castanhas e aveia.

Os ingredientes são:

  • iogurte natural sem açúcar, (rico em probióticos, ajuda na saúde intestinal)
  • mix de castanhas
  • frutas da sua preferência (kiwi, mamão…)
  • aveia

Modo de preparo:

Coloque o iogurte em um recipiente, despeje de uma a duas colheres de aveia, que é rica em zinco – nutriente essencial para o sistema imunológico. Depois adicione uma fruta, que pode ser kiwi ou mamão e finalize com um mix de castanhas. Pronto!

Iogurte com aveia e kiwi – Foto: Notoria Midia

 

Fonte: SóNotíciaBoa

 


18 de março de 2020
rubacao_joao_pessoa.jpg

3min142

Conheça o Rubacão, uma comida típica de João Pessoa

Assim como o bolo de rolo é famoso em Pernambuco e o acarajé na Bahia, o rubacão tem admiradores por cada canto paraibano, inclusive na capital João Pessoa. Segundo a história, o prato é uma adaptação de uma receita árabe com o incremento de toda a riqueza dos sabores nordestinos.

Em quase todos restaurantes na cidade, é muito provável que o Rubacão faça parte do cardápio.

Embora cada um ter o seu jeito de fazer, basicamente alguns ingredientes são  imprescindíveis para que esteja em sintonia com o paladar do Pessoense.

Nós vamos detalhar aqui a receita com o passo a passo do preparo deste que sem dúvida é um dos pratos típicos de João Pessoa que agrada a todos que experimentam.

Ingredientes da Receita de Rubacão

500g de carne de charque dessalgado e cortado em cubos
500g de feijão de corda
1 xícara de arroz
1 cebola picada
1 pimentão picado
Ramos de coentro picado
2 tomates
3 colheres (sopa) de requeijão
1 caixa de creme de leite
4 colheres (sopa) de manteiga
500ml de leite
300g de queijo de coalho cortado em cubos
Sal e pimenta a gosto

Como Fazer Rubacão

Veja como preparar o prato típico de João Pessoa de forma simples e prática:

Derreta uma colher de manteiga e refogue a cebola.
Junte o feijão e o arroz com água e sal. Deixe cozinhar.
Quando estiver cozido, acrescente o leite, o pimentão, o tomate e o coentro. Mexa até ficar cremoso.
Derreta a manteiga restante, frite a carne.
Junte a carne ao creme preparado.
Acrescente o requeijão e o creme de leite. Misture bem.
Junte o queijo e apague o fogo. Sirva.

 

Agora que você já conhece o prato típico de João Pessoa, que tal preparar e experimentar você mesmo. Comente o que achou e acompanhe aqui nossas sugestões das riquezas gastronômicas na região.