19. janeiro 2021

Arquivos Saúde - Bessa News

1 de dezembro de 2020
WhatsApp-Image-2019-12-07-at-19.38.58-3.jpeg

1min168

Neste sábado, 05, o Parque Parahyba I recebe uma ação social com realização de serviços de saúde e educação física, além de realização de atividades para as pessoas que frequentam o local. Os serviços devem ter início a partir das 16h, horário em que o movimento de pessoas no parque é alto.

 

A ação será realizada pela Uninassau em parceria com o Comitê Parque Parahyba e acontece próximo às quadras de areia. Estudantes e professores da faculdade irão fazer ainda um trabalho de conscientização para prevenção da Covi-19, com distribuição de máscaras e panfletos com orientações sobre como evitar a doença.

 

 


20 de novembro de 2020
centro-administrativo-JP-ascom.jpg

2min146

Em cumprimento a acordo judicial, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) publica, na manhã desta sexta-feira (20), novo decreto suspendendo, em toda a Capital, as aulas nas instituições de ensino superior, escolas de ensino médio e cursos livres, a partir da próxima quarta-feira (25). A medida, fruto do acordo firmado junto ao Ministério Público Federal (MPF) em audiência de conciliação, revoga o decreto n° 9.585, de outubro deste ano, que autorizava o retorno às aulas presenciais dentro do Plano Estratégico de Flexibilização em virtude da pandemia do novo coronavírus.

 

O pedido de suspensão das atividades foi feito pelo MPF e Ministério Público do Trabalho (MPF). A decisão do acordo considerou as informações prestadas pelos representantes das secretarias de Saúde Estadual e Municipal de João Pessoa e do Conselho Regional de Medicina (CRM), que constataram uma alta no número de casos de covid-19 na última semana epidemiológica. As atividades educacionais envolvendo concentração de alunos em ambiente fechado têm alto risco de propagação do coronavírus, e são consideradas como um dos fatores causadores das novas ondas de disseminação da doença em outros países.


3 de novembro de 2020
henry-freitas-show-na-praia.jpg

4min98

O cantor Henry Freitas reuniu uma plateia de dezenas de pessoas em um show improvisado na praia do Bessa, em João Pessoa, na tarde e noite da segunda-feira (2). Nas imagens da apresentação, é possível ver as pessoas se aglomerando ao redor do cantor, sem máscaras, contrariando as recomendações de segurança contra à Covid-19 e desrespeitando os decretos da Prefeitura de João Pessoa.

“Do nada apareci na praia em João Pessoa com meu irmão @nathanreuel e olha como fui recebido”, diz o artista na postagem em que mostra ele cantando com as pessoas sem máscaras.

Também na mesma rede social, o artista postou um vídeo onde contou como o show aconteceu. “Do nada a gente saiu para comer um peixe, chegou um amigo nosso que estava com uma caixinha, pegamos o microfone do Fullano mesmo, que o pessoal emprestou para a gente. Começou a gente cantando na mesa, sonzinho baixo, de repente começou a se juntar muitas pessoas e a gente fez meio que um show ali, com toda segurança. Os seguranças estavam lá e não aconteceu nada com ninguém”, contou o cantor.

O show contraria os decretos mais recentes publicados pela prefeitura. O acesso às praias foi liberado, entretanto, o artigo da liberação explica que deve-se manter o distanciamento mínimo entre pessoas de 1,5 m. Além de manter o distanciamento mínimo, também foi incluído um artigo que diz que permanece obrigatório, em todo o município de João Pessoa, o uso de máscaras, sendo compulsório o uso na orla ou na faixa de areia, somente sendo permitida a retirada para alimentação e momento de banho.

“As praias estão liberas (sic) já fazem um tempo. Isso foi totalmente espontâneo e rápido. Infelizmente não estamos podendo trabalhar ainda, mais tudo foi feito com o maior cuidado do mundo”, disse o cantor em resposta a uma fã que questionou a aglomeração.

O Procon municipal de João Pessoa (Procon-JP) informou que até as 10h30 desta terça-feira (3), não havia recebido denúncias sobre o evento, mas que ia investigar.


23 de setembro de 2020
PETS-dog3-1280x853.jpg

1min217

O Centro de Zoonoses realiza nesta quinta-feira, 24, e sexta-feira, 25, mais uma etapa da campanha de vacinação itinerante antirrábica de cães e gatos. Desta vez, os postos serão instalados em três locais do Bairro do Bessa, em João Pessoa: Terminal de Integração, Praça do Caju e Comunidade São Luiz.

 

A ação acontece das 8h às 16h.

 

De acordo com a prefeitura de João Pessoa, a campanha acontece com a meta de imunizar 80 mil animais, sendo 60 mil caninos e 20 mil felinos, o que corresponde a cerca de 80% da população de cães e gatos da cidade.

 


24 de agosto de 2020
saude_upa_valentina_foto_adrianofranco_-39-1280x853.jpg

3min215

O Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga (CHCF), unidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES), implantou um serviço diferenciado no âmbito do SUS. Trata-se do Ambulatório de Egressos da Covid-19. O novo serviço é destinado às pessoas que já testaram positivo para covid-19 e que também passaram pelo processo de internação no Clementino Fraga por conta da doença.

De acordo com a diretora técnica do CHCF, a médica infectologista Joana D’Arc Frade, a ideia do Ambulatório de Egressos da Covid-19 surgiu entre conversas com a direção geral e direção clínica do Complexo, do que poderia ser feito para otimizar a atenção aos portadores de covid, que tivessem passado pelo processo de internação no hospital, visando compreender melhor o perfil da doença e as consequências que poderiam ser geradas em médio e longo prazo.

 

Como funciona – A princípio, o Ambulatório de Egressos da covid-19 do Clementino Fraga conta com assistência primária em pneumologia, com a possibilidade de ampliação para as outras especialidades oferecidas pelo CHCF, referenciadas a partir deste novo ambulatório. 

 

O paciente de covid-19, quando recebe a alta médica, já sai com um agendamento programado para, após 15 dias, efetuar o retorno e passar pelo atendimento do novo serviço, se desdobrando para avaliações posteriores.

 

“Esse novo serviço deve permitir, ao longo do tempo, entender melhor o comportamento da pandemia no nosso estado e, particularmente, no Clementino Fraga.  Antes de tudo, esse atendimento é importante em termos até maiores do que o próprio Clementino Fraga, porque é um serviço que não se tem muitas referências de existir com esse perfil, inclusive em outros estados. É uma estratégia de acompanhamento inovadora, mostrando que o Clementino tem uma preocupação com a qualidade da atenção à saúde”, destacou a infectologista Joana D’Arc Frade.


29 de julho de 2020
vacina-oral-covid.jpg

3min161

A primeira possível vacina contra a Covid-19 da Rússia pode obter aprovação regulatória na primeira quinzena de agosto e, logo depois, será administrada aos profissionais de saúde da linha de frente, disse à Reuters uma fonte envolvida no desenvolvimento da vacina.

Uma instituição de pesquisa estatal em Moscou, o Centro de Pesquisas em Epidemiologia e Microbiologia Nikolai Gamaleya, concluiu os primeiros testes em humanos da vacina este mês e espera iniciar testes em larga escala em agosto. A vacina ganhará a aprovação regulatória das autoridades russas enquanto o ensaio em larga escala continuar, disse a fonte, destacando a determinação de Moscou de ser o primeiro país do mundo a aprovar uma vacina.

 

A vice-primeira-ministra russa, Tatiana Golikova, anunciou nesta quarta-feira que a produção em escala industrial de duas vacinas contra o coronavírus deve ocorrer em setembro e em outubro. Além da vacina do Centro Gamaleya, ela se referia também à vacina que está sendo desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Véktor, na Sibéria, e está na fase de testes clínicos, que devem terminar em setembro, com a certificação no mesmo mês. As primeiras doses podem ficar prontas em outubro de 2020.

 

Segundo Golikova, as duas vacinas “são hoje muito promissoras”.

 

A velocidade com que a Rússia está se movendo para lançar a vacina levou alguns meios de comunicação ocidentais a questionar se Moscou está colocando prestígio nacional diante de ciência e segurança sólidas.

 

“A aprovação (regulatória) será nas duas primeiras semanas de agosto”, disse a fonte da Reuters. “A data esperada é 10 de agosto, mas definitivamente será antes do dia 15. Todos os resultados (experimentais) até agora são altamente positivos.”

 

A fonte acrescentou que os profissionais de saúde russos que tratam pacientes com COVID-19 terão a chance de ser voluntariamente vacinados logo após a vacina receber a aprovação regulamentar.

 

Fonte: O Globo


28 de julho de 2020
academia02.jpg

3min273

Com a reabertura das academias na Capital, que faz parte da quarta etapa do Plano de Flexibilização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), equipes do Procon-JP e da Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb) realizaram, durante toda esta segunda-feira (27), uma fiscalização nesses locais. O principal intuito da Operação Proteção é garantir a segurança sanitária das pessoas que farão uso dos estabelecimentos, fiscalizando e orientando para que as empresas cumpram os protocolos.

Durante o turno da manhã, as equipes notificaram algumas academias pela falta de demarcação das máquinas, irregularidades a respeito dos bebedouros, distanciamentos das esteiras e cadeiras na recepção. Ao todo, onze academias localizadas nos bairros de Cabo Branco, Manaíra, Bessa, Mangabeira e Altiplano receberam a fiscalização nesse primeiro dia de retorno das atividades.

 

 

Para a secretária do Procon-JP, Maristela Viana, a ação é de fundamental importância para garantir a segurança dos que buscam as academias nesta reabertura e também para os profissionais que estão atuando nesses locais. “Estamos intensificando a fiscalização para que as academias cumpram as medidas de segurança para impedir a propagação do Coronavírus e que os alunos possam fazer suas atividades físicas com segurança”, disse.

 

Estão sendo analisados pelos fiscais os seguintes itens: o limite de 50% da capacidade de alunos; atendimento individual e por agendamento; não realização de aulas coletivas; uso obrigatório de máscaras por todos os funcionários e alunos; distanciamento mínimo de 1,5 metros entre as pessoas; distanciamento de aparelho, equipamentos e máquinas de, no mínimo, 1,5 metro; disponibilidade de álcool em gel; limpeza permanente dos aparelhos depois do uso para o próximo aluno; e proibição do uso de bebedouro.

 

Fonte: PMJP


25 de junho de 2020
onibus.png

3min166

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, se reuniu, na tarde desta segunda-feira (22), com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sintur) para receber e avaliar as estratégias para formulação do protocolo de retomada das atividades do transporte público de passageiros na Capital. O diálogo se faz necessário em virtude das ações de prevenção e combate à pandemia do novo coronavírus que a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) está adotando para que a cidade volte gradualmente à nova normalidade. O retorno da circulação dos ônibus está previsto para a segunda fase do plano de flexibilização.

 

“Recebemos todo o material proposto pelo setor de transportes com relação às novas normas, ao protocolo que está sendo sugerido. A Prefeitura tem feito esse acompanhamento passo a passo para que possamos fazer o retorno seguro e sem jogar fora todo o esforço que foi feito não só pela nossa gestão, mas também pelo povo de nossa cidade. Nossa ideia é dar passos seguros que garantam a preservação da vida e saúde de nosso povo”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

Segundo o prefeito, a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) irá avaliar as propostas do setor e alinhá-las às normas de segurança estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e aos protocolos estabelecidos na Capital pela Secretaria de Saúde (SMS), feitos por médicos e sanitaristas. Todas as ações a serem adotadas no retorno da circulação dos ônibus, assim como de outros setores, se dará mediante análise de avaliação de risco.

 

Desde o mês de março, o transporte público teve as atividades paralisadas dentre as ações adotadas para evitar aglomerações e os ônibus passaram a circular apenas para o transporte de profissionais e trabalhadores da área da saúde, que estão na linha de frente das ações de combate à pandemia. Durante todo este período, o distanciamento social segue como a principal medida para conter a propagação da Covid-19. Mesmo com o início do Plano Estratégico de Flexibilização, a orientação para que as pessoas permaneçam em casa e só saiam em caso de necessidade, segue como válida. No espaço público, o uso de máscara também segue como obrigatório.

 

Fonte: PMJP


15 de abril de 2020
marcos-pontes-remedio-close.jpg

4min639

O ministro de Ciência e Tecnologia Marcos Pontes fez um anúncio animador nesta quarta, 15. Disse que o Brasil vai testar nas próximas semanas um “remédio promissor” contra covid-19.

Em entrevista coletiva em Brasília, transmitida ao vivo por emissora de rádio e TV, ele afirmou que o medicamento demonstrou ter 94% de eficácia em análises in vitro, com células infectadas pelo novo coronavírus.

Ele revelou que ao menos 500 pacientes com a covid-19 – que não estejam em estado grave – vão participar dos estudos clínicos.

“Para garantir a continuidade dos testes clínicos, e por questões de segurança, o nome do medicamento selecionado será mantido em sigilo até que os resultados dos testes clínicos demonstrem a sua eficácia em pacientes”, informou em entrevista coletiva.

Ele revelou apenas que o remédio tem formulação pediátrica e preço acessível.

“O que se pode adiantar é que o fármaco tem baixo custo, ampla distribuição no território nacional e sua administração não está relacionada a efeitos colaterais graves e que pode ser usado por pessoas de diversos perfis inclusive em formulações pediátricas”, afirmou.

Pontes revelou que as análises preliminares apontaram que o remédio não teria efeitos colaterais para os pacientes.

Previsão 

Pontes falou que o remédio já é produzido no Brasil e “não nos deixa dependentes de outros países”.

“Imaginando que tudo isso funcione, pois nós estamos entrando nos testes clínicos, vamos ter um medicamento, testes e a vacina, essa mais para frente. Esperamos no meio de maio ter uma ferramenta efetiva para combater essa pandemia no Brasil”, disse Pontes.

Como

O remédio teria sido descoberto após testes com cerca de dois mil medicamentos.

Cientistas do CNPEM/MCTIC usaram alta tecnologia biologia molecular e estrutural, computação científica, quimioinformática e inteligência artificial para encontrar seis moléculas promissoras que foram testadas in vitro com células infectadas pela covid-19.

Dos seis remédios pesquisados, dois reduziram a replicação viral em células e o remédio mais promissor teve 94% de eficácia nos ensaios com células infectadas.

Com informações da JP e AgênciaBrasil

Fonte: SóNotíciaBoa