02. março 2021

Arquivos Urbano - Página 2 de 6 - Bessa News

19 de outubro de 2020
epitacio-pessoa.jpeg

5min211

Mais um trecho da Av. Epitácio Pessoa foi entregue à população nesta segunda-feira, 19. Os trabalhos seguem avançando em vários trechos do corredor, que já tem concluídos dois quilômetros de calçadas novas acessíveis e dotadas de infraestrutura para estimular o passeio público. Também já foi implantada a nova tecnologia nos semáforos que, no período da noite, acendem uma luminária de LED na faixa de pedestre quando os sinais fecham para clarear a via para que os pedestres atravessem em segurança. Essa é a maior intervenção na Avenida com uma reestruturação total em um moderno projeto que alia tecnologia e urbanismo, tornando a avenida mais humanizada e um verdadeiro espaço de compartilhamento e de permanência pelas pessoas.

 

“A Avenida Passeio Epitácio Pessoa é um novo conceito, mais moderno e humano para a cidade que estamos construindo desde 2013. João Pessoa já ganhou uma Avenida Beira Rio totalmente nova, em um padrão que é referência em mobilidade urbana, e agora o principal corredor da cidade passa pela maior intervenção de sua história. Com um projeto em execução que privilegia o pedestre e dá mais oportunidade para que idosos e pessoas com algum grau de deficiência transitem de um extremo ao outro da via em segurança e com mais conforto”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

As obras, realizadas inteiramente com recursos próprios da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), já foram concluídas desde o início da avenida a partir da Praça da Independência até o início do bairro da Torre, na Avenida Barão de Mamanguape. Neste trecho, quem transita pela via já pode observar as novas calçadas inteiramente renovadas e acessíveis, e todas seguindo um mesmo nível para facilitar o deslocamento de pessoas com necessidades especiais, contando com rampas, piso tátil e sinalização. As obras coordenadas pela Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) contemplam também o canteiro central com novas pedras portuguesas e todo o trabalho de paisagismo, tornando o ambiente mais agradável e acolhedor, com novas árvores e plantas em toda a sua extensão e floreiras de chão e suspensas no alto dos postes. Também já foram instaladas as novas lixeiras e bancos.

 

De acordo com Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), a Avenida também conta com sistema semafórico monitorado pelo Google em tempo real, permitindo que, de acordo com o fluxo de veículos, os semáforos sejam controlados para garantir maior fluidez. O mesmo sistema também está implantado no Retão de Manaíra e Avenida Rui Carneiro. A iluminação na tecnologia LED para reforço da segurança na travessia dos pedestres em toda a Avenida Passeio Epitácio Pessoa também já foi implantada. Com isso, todas as vezes que os semáforos fecham, se acende uma luminária LED para reforçar a iluminação da faixa.

 

Integração com o Largo de Tambaú – Chegando ao final da via, já na região da praia, a Avenida Passeio Epitácio Pessoa vai se integrar ao projeto do Largo de Tambaú. O projeto do Largo de Tambaú compreende uma área de 8.621 metros, permitindo o compartilhamento dos espaços para oferecer a convivência saudável no trecho de chegada ao Busto de Tamandaré, se transformando em uma ampla área de convivência, com espaço para caminhadas, atividades culturais e passeio para a população da Capital e turistas.


14 de outubro de 2020
pao-frances-1280x834.jpg

2min137

Uma pesquisa realizada pelo Procon nesta terça-feira, 13, apontou que o Bessa tem o menor preço do pão francês da zona leste de João Pessoa. Na padaria Bessa Pão o valor encontrado foi de R$ 9,99 contra R$ 11,90 do Empório do Trigo, em Tambaú. Em toda a Capital, a variação no preço do quilo do pão francês está em 114,14%, com a diferença se mantendo em R$ 7,99 desde julho último. O menor preço, R$ 7,00, é encontrado na padaria Vasconcelos (Cruz das Armas) e, o maior, R$ 14,99, nas Pão Doce Pão (Bairro dos Estados) e Eldorado (Jardim Luna).

 

A pesquisa de preços do Procon-JP foi realizada em 30 estabelecimentos distribuídos em 21 bairros de João Pessoa. Os outros menores preços para o pão francês foram encontrados nos seguintes estabelecimentos: R$ 7,20, Doce Pão (Valentina); R$ 7,25, Pão da Vida
(Mangabeira); R$ 8,00, Panificadora N. S. dos Prazeres (Geisel) e Padaria e Lanchonete Cardoso (Geisel).

 

O levantamento também registrou que os maiores preços do produto foram encontrados na padaria Bonfim (Tambaú), R$ 14,90; no supermercado Pão de Açúcar (Miramar); na El Shaday (Cabo Branco), R$ 14,50; na Padaria Pernambucana (Anatólia) e na Pão Sabor (Brisamar), R$ 12,99; na Pandelly (Expedicionários); e na Sabores do Trigo (Manaíra), R$ 12,89.

 

Na zona leste da Capital, os estabelecimentos pesquisados foram: El Shaday (Cabo Branco – R$ 14,50); Bessa Pão (Bessa – R$ 9,99); Sabores do Trigo (R$ 12,89) e Supermercado Manaíra (ambos em Manaíra – R$ 12,49); Empório do Trigo (R$ 11,90) e Bonfim
(ambos em Tambaú – R$ 14,90); Pão Sabor (Brisamar – R$ 12,99).


5 de outubro de 2020
nibus-2-1280x853.jpg

7min147

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, apresentou, na manhã desta segunda-feira (5), o Plano de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Planmob), um amplo estudo que orienta todos os investimentos e ações pelos próximos anos. O documento é um grande avanço da atual gestão da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), que deixa um legado para o futuro projetando a mobilidade urbana até 2038 e pensando não apenas na Capital, mas também na relação com as outras cidades da Região Metropolitana. Como primeira ação efetiva pós-lançamento do Planmob, a PMJP lança, nesta terça-feira (6) o projeto Conexão Bairro, com a primeira linha que interliga bairros próximos no valor de R$ 2.

 

“Lançamos o Plano de Mobilidade Urbana, construído a partir de audiências públicas, workshops, reuniões setoriais e, principalmente, com uma pesquisa onde ouvimos mais de 50 mil pessoas da Região Metropolitana para preparar este documento que planeja ações importantes pelos próximos anos na nossa cidade. E já temos resultados práticos a partir dos nossos investimentos em calçadas padronizadas e acessíveis, novas ciclovias que implantamos e dos programas Ação Asfalto e Mais Pavimentação, além do projeto Conexão Bairro que iniciaremos nesta terça”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

O Plano de Mobilidade Urbana será encaminhado à Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) e deverá se tornar lei. Ele vai proporcionar melhoria nas condições urbanas em acessibilidade e mobilidade, reduzindo desigualdades e promovendo a inclusão, vai diminuir as necessidade de longas viagens, proporcionando deslocamentos mais eficientes e vai promover melhorias nas condições ambientais da cidade, com a diminuição da poluição atmosférica, visual e sonora.

 

Conexão Bairro– O Conexão Bairro, projeto que pretende interligar bairros próximos em que exista atração de viagens de curta distância, terá início com a linha piloto C001, que vai conectar os bairros do Grotão e Colinas do Sul. A partir das 6h da manhã, os ônibus identificados visualmente com o nome do projeto, vão partir do Terminal 102, voltando do Terminal 116. No percurso vão passar ainda pelo Gervásio Maia, Colinas do Sul e Irmã Dulce. A passagem também será diferenciada, custando apenas R$ 2.

 

Planejamento – De acordo com o Planmob, até 2038 todos os bairros da Capital deverão ter pelo menos 85% de calçadas acessíveis. Com isso, pretende-se incentivar o uso do transporte ativo para a mobilidade de proximidade, garantindo mais eficiência e conforto para pedestres, com total acessibilidade. Já no caso dos ciclistas, o Plano foca na ampliação e conexão da malha cicloviária e também na sua interligação com outros modais. A proposta é que a cidade chegue a uma malha para ciclistas de 221,5 km de extensão até 2038. Com os investimentos da atual gestão, a Capital já tem 86 km de ciclovias e ciclofaixas e deve chegar a 110km até o final deste ano.

 

O Plano para o transporte público prevê um serviço com mais conforto, segurança, acessibilidade e eficiência, com integração com os demais modais, uma melhor organização das linhas e o uso de energias renováveis. Entre as propostas estruturais estão a implantação de oito novos trechos de faixa exclusiva e de seis grandes corredores de ônibus, incluindo a BR-230, que passaria a funcionar como uma via urbana. Para escoar a demanda externa da BR, o Plano prevê a construção de um anel rodoviário utilizando trecho da PB-011.

 

As intervenções em sistema viário têm como objetivo garantir a segurança e conectar a malha viária, assim como implantar estratégias de redução dos congestionamentos e de organização dos estacionamentos. Entre as principais propostas do Plano estão a complementação de articulação regional e perimetral. O primeiro caso inclui projetos como a ligação do Geisel ao Gervásio Maia e de Mangabeira ao Valentina. Já o segundo se refere a intervenções como o viaduto da Saffa S. Abel da Cunha, a ligação da Epitácio Pessoa com a Rui Carneiro e novas ligações da UFPB com Altiplano, Bancários e a Torre (ponte estaiada).

 

Participação popular – A construção do Plano de Mobilidade se deu em várias etapas, com ampla participação popular. O processo contou com diversas reuniões setoriais, audiências públicas e workshops onde a população, a sociedade civil organizada, universidades e gestões puderam participar ativamente. Foi realizada ainda uma pesquisa de origem e destino na qual foram ouvidas mais de 50 mil pessoas da Região Metropolitana para conhecer os hábitos da população e um estudo de campo, ambos fundamentais para basear algumas das propostas.

 

O Planmob prevê ainda uma série de diretrizes para ampliar a conectividade da malha viária para reduzir congestionamentos, garantir a segurança viária, criar regulamentação sobre a circulação e operação dos transportes de carga, criar estacionamentos mais modernos e acessíveis com vagas públicos e consolidar a regulamentação de polos geradores de viagens, além de ampliar a participação da sociedade no planejamento da mobilidade , promover políticas intersetoriais e a integração das diversas esferas de governo.


1 de outubro de 2020
falta-agua-joao-pessoa.jpg

2min116

Moradores de cinco localidades de João Pessoa vão ficar sem água nas torneiras nesta quinta-feira (1º), conforme informou a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa). A previsão é de que o serviço seja interrompido a partir das 8h e retomado por volta das 18h.

O abastecimento será suspenso no Bessa, Renascer II e III, Manaíra e Bairro São José.

A interrupção no serviço é necessária para que técnicos da Cagepa façam serviços de limpeza e desinfecção em um reservatório localizado em Tambaú.

Mais informações podem ser obtidas gratuitamente pelo telefone 115.

Fonte: G1 PB


23 de setembro de 2020
PETS-dog3-1280x853.jpg

1min232

O Centro de Zoonoses realiza nesta quinta-feira, 24, e sexta-feira, 25, mais uma etapa da campanha de vacinação itinerante antirrábica de cães e gatos. Desta vez, os postos serão instalados em três locais do Bairro do Bessa, em João Pessoa: Terminal de Integração, Praça do Caju e Comunidade São Luiz.

 

A ação acontece das 8h às 16h.

 

De acordo com a prefeitura de João Pessoa, a campanha acontece com a meta de imunizar 80 mil animais, sendo 60 mil caninos e 20 mil felinos, o que corresponde a cerca de 80% da população de cães e gatos da cidade.

 


23 de setembro de 2020
jogo-lampiao-2.jpg

3min148

Um jogo para computador que tem Lampião como personagem principal e elementos do Sertão nordestino está sendo desenvolvido por três jovens de Campina Grande. De acordo com Rubem Medeiros, que é engenheiro eletricista e um dos idealizadores do “Sertão Profundo – A maldição da botija”, o projeto vem sendo desenvolvido há três anos.

Segundo Rubem, no jogo, além do cangaço, também são utilizados elementos do carnaval, como o Caboclo de Lança, Boi Bumbá, do Reizado e das Carrancas de São Francisco, como objetivo de mostrar vários aspectos da cultura nordestina.

“A gente tenta misturar os elementos da cultura pop e da cultura nordestina. Lampião tem um pouco de Lanterna Verde, por exemplo”, explicou.

Rubem também explicou que, no jogo, o “Rei do Cangaço” não morreu na década de 30. “Ele envelheceu e todo o bando dele morreu. Ele foi para o ‘Sertão Profundo’ e encontra uma botija, que vai o transportar para outro local, onde reencontra todo o bando e todas as pessoas que matou durante a vida. O conflito é ele tentando reunir o bando e enfrentando esses desafios”, contou.

O jogo ainda está passando por desenvolvimento e após finalizado ficará disponível em versão para computador, vendida em lojas on-line especializadas em jogos.

Fonte: G1 PB


8 de setembro de 2020
pilicia_bessa.jpg

2min160

A Polícia Militar prendeu em flagrante um jovem de 21 anos suspeito de matar um colega de quarto, no começo da manhã desta terça-feira (8), dentro de uma pousada que estava sendo usada como abrigo para pessoas em situação de vulnerabilidade social, no bairro do Bessa, em João Pessoa. O suspeito, que dividia um cômodo com a vítima e mais dois homens, confessou o crime e disse que deu facadas na vítima e a jogou do 4º andar “para não sujar o quarto de sangue”.

 

A prisão foi feita por equipes da Companhia Especializada em Apoio ao Turista (CEATur) e Batalhão Especializado em Policiamento com Motocicletas (BPEMotos), que cercaram o local e conseguiram chegar ao suspeito, que estava em outro quarto da pousada.

 

Segundo a polícia, ele alegou ameaças como motivação para o crime, mas apresentou também outras versões, o que deve ser investigado.

 

“Ele disse que as facadas foram dadas após uma confusão e que houve luta corporal com a vítima, que ainda não teve a identidade confirmada”, disse a Polícia Militar em comunicado encaminhado à imprensa.

 

O preso foi levado para a Central de Polícia Civil, no bairro do Geisel, na Zona Sul da Capital, onde as investigações serão instaladas.

 

Fonte: Portal Correio


26 de agosto de 2020
hotel-tambau-2.jpg

8min341

A cidade de João Pessoa entrou “oficialmente” para o cânone do Universo DC na edição mais recente da revista anual da Mulher-Maravilha (Wonder Woman Annual #4), lançada no último dia 18 nos Estados Unidos e disponível para ser comprada digitalmente pela internet. A revista foi escrita por Steve Orlando e ilustrada pelo paraibano Jack Herbert, que, com base no roteiro, decidiu ambientar a aventura da super-heroína em vários pontos da capital paraibana.

“O editor entrou em contato comigo e me passou o e-mail do roteirista. A gente conversou e o roteiro dizia que a história ia se passar em uma cidade no litoral do Brasil. É uma cidade fictícia, porque nela só moram mulheres, mas o editor disse que teria que ser uma cidade crível, com cara mesmo de cidade brasileira, e me passou umas referências na Bahia. Como eu tive liberdade de escolher a ambientação, resolvi fugir do clichê de Rio de Janeiro e Salvador e resolvi ambientar em João Pessoa, que é a cidade onde moro”, diz Jack, que é natural de Bananeiras, no Brejo, mas mora na capital paraibana desde os 10 anos.

Na história, a Mulher-Maravilha é convocada para uma reunião com o conselho das amazonas por ordem da própria mãe. Uma cidade misteriosa, com uma nova tribo de guerreiras amazonas, surgiu do nada no litoral brasileiro e ninguém sabe explicar de onde veio. A cidade está cercada por uma bolha de energia e, dentro dela, as moradoras sofrem de estresse e tensão psicológica por lidar com uma realidade distorcida.

Diana Prince descobre que o feitiço é mais um trabalho das bruxas dos Dark Fates e parte para a cidade em uma missão de resgate. A luta vai moldar o futuro do Universo DC, segundo a descrição da revista no site da DC.

Edifício Caricé (à esquerda) e Igreja do Carmo e rua do Centro Histórico de João Pessoa (à direita), em páginas de Wonder Woman Annual #4 — Foto: Reprodução/DC Comics

O nome da cidade não é mencionado na trama, mas quem conhece João Pessoa vai reconhecer os pontos onde acontecem as cenas. “A Mulher-Maravilha chega justamente onde fica o Hotel Tambaú, e durante a história passa pelo Mercado de Tambaú, pelo Edifício Caricé, a Igreja do Carmo e até o Liceu Paraibano”, diz.

 

As principais cenas de ação da história acontecem no Centro da capital e ainda é possível ver trechos do litoral em outra parte da revista, que tem outras referências como a ciclofaixa da Avenida Epitácio Pessoa e um DDD 83 em um telefone de frigorífico ao lado do Mercado de Tambaú.

Jackson Herbert atua pela DC Comics desde 2014, onde desenhou, além da Mulher-Maravilha, heróis como Batman e Superman. O ilustrador atua profissionalmente desde 2005, quando ficou conhecido pela série “Kirby Genesis”. Ele começou a se interessar por ilustração após ver uma entrevista com Mike Deodato, ilustrador paraibano reconhecido pelos trabalhos na Marvel e DC.

Reportagem: G1 PB


24 de agosto de 2020
saude_upa_valentina_foto_adrianofranco_-39-1280x853.jpg

3min230

O Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga (CHCF), unidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES), implantou um serviço diferenciado no âmbito do SUS. Trata-se do Ambulatório de Egressos da Covid-19. O novo serviço é destinado às pessoas que já testaram positivo para covid-19 e que também passaram pelo processo de internação no Clementino Fraga por conta da doença.

De acordo com a diretora técnica do CHCF, a médica infectologista Joana D’Arc Frade, a ideia do Ambulatório de Egressos da Covid-19 surgiu entre conversas com a direção geral e direção clínica do Complexo, do que poderia ser feito para otimizar a atenção aos portadores de covid, que tivessem passado pelo processo de internação no hospital, visando compreender melhor o perfil da doença e as consequências que poderiam ser geradas em médio e longo prazo.

 

Como funciona – A princípio, o Ambulatório de Egressos da covid-19 do Clementino Fraga conta com assistência primária em pneumologia, com a possibilidade de ampliação para as outras especialidades oferecidas pelo CHCF, referenciadas a partir deste novo ambulatório. 

 

O paciente de covid-19, quando recebe a alta médica, já sai com um agendamento programado para, após 15 dias, efetuar o retorno e passar pelo atendimento do novo serviço, se desdobrando para avaliações posteriores.

 

“Esse novo serviço deve permitir, ao longo do tempo, entender melhor o comportamento da pandemia no nosso estado e, particularmente, no Clementino Fraga.  Antes de tudo, esse atendimento é importante em termos até maiores do que o próprio Clementino Fraga, porque é um serviço que não se tem muitas referências de existir com esse perfil, inclusive em outros estados. É uma estratégia de acompanhamento inovadora, mostrando que o Clementino tem uma preocupação com a qualidade da atenção à saúde”, destacou a infectologista Joana D’Arc Frade.


21 de agosto de 2020
tapa-buraco.jpeg

2min184

Ruas e avenidas de Miramar, Varjão, João Agripino, Bessa, Bairro dos Estados, Funcionários, Jaguaribe e Cuiá estão recebendo, nesta sexta-feira (21), as equipes da Operação Tapa-Buraco, dentro dos serviços de recuperação e manutenção da malha viária da Capital. Os trabalhos, executados pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Infraestrutura do Município (Seinfra), melhoram a mobilidade e garantem mais segurança a condutores e pedestres.

 

Entre as vias onde os serviços estão sendo executados estão as ruas Hilda Coutinho de Lucena/Ciclofaixa (Miramar), Bom Jesus (Varjão), Praça Manoel Colaço Sobrinho (João Agripino), Damasquins Ramos Maciel (Bessa) e Maria Batista Medeiros (Bairro dos Estados).

 

Também estão sendo contempladas com os serviços de manutenção e recuperação da pavimentação as ruas Professora Maria da Soledade Ramalho (Funcionários), Maximiano Machado (Jaguaribe) e Olívio de Moraes Cavalcante (Cuiá).

 

As ruas e avenidas atendidas pela Operação Tapa-Buraco são definidas com base nas demandas apresentadas pela população que chegam diariamente à Seinfra.

 

Como solicitar o serviço – O serviço pode ser solicitado por qualquer cidadão por meio do telefone do Call Center da Seinfra, pelo número 0800.031.1530. A ligação é gratuita. O pedido também pode ser feito pelo e-mail [email protected]

 

A programação da Seinfra dá prioridade às vias que fazem parte da rota dos transportes coletivos e aquelas que concentram grande volume de tráfego, embora todas as ruas sejam contempladas.